Home / greve / Universidades estaduais da Bahia podem parar

Universidades estaduais da Bahia podem parar

 

Servidores da UESC devem parar denunciando o descaso do governo ( Divulgação)

Com o estado de greve atualmente aprovado pelas assembléias docentes, o Fórum das ADs discutiu a deflagração da greve nas Universidades Estaduais da Bahia. Diante do silêncio do governo, mesmo durante o Estado de Greve, o indicativo do Fórum é que a deflagração do movimento paredista seja pautado em caráter de urgência pela categoria.

Ontem os professores da Universidade Estadual de Santa Cruz, em Ilhéus, se reuniram em assembléia convocada pela Associação dos Docente da UESC (ADUSC),  para deliberar sobre a deflagração da greve unificada nas Universidades Estaduais.

Os principais pontos de insatisfação dos servidores são os ataques ao Estatuto do Magistério Superior, arrocho salarial, restrição aos direitos trabalhistas e contingenciamentos orçamentários das universidades.

Ontem, pela manhã estudantes dos estudantes dos cursos de Comunicação Social e Medicina da UESC denunciaram a falta de professores para lecionar disciplinas obrigatórias e essenciais em ambos cursos, o atraso no pagamento das bolsas de auxílio a permanência estudantil. Os manifestantes ressaltaram a importância de se construir uma mobilização unificada em defesa das Universidades Estaduais da Bahia.

Segundo os dirigentes da Adusc “a categoria está bastante indignada com a forma como o governador Rui Costa trata os docentes e as Universidades Estaduais. É um completo descaso e falta de respeito. Estamos há três anos tentando negociar com o governo. Infelizmente, a resposta que ele nos dá sãos mais ataques e retirada de direitos. Com todas as nossas tentativas de diálogo se esgotando, a única alternativa que o governo nos dá é a greve. O movimento docente honrará a sua tradição combativa e não recuará em na defesa da educação pública, gratuita e de qualidade”, afirmou Sérgio Barroso pela coordenação do Fórum das ADs.

Tentativas de diálogo
Reforçando, mais uma vez, a abertura para diálogo, o Fórum segue tentando insistentemente um retorno do líder da bancada governista (Rosemberg Pinto) para uma reunião. No último dia 14 de março, o movimento docente reuniu-se com o deputado petista, que se comprometeu em realizar uma nova reunião com os professores. Uma nova reunião do Fórum das ADs foi marcada para a próxima sexta-feira (5), a partir das 9h, em Salvador na Aduneb. No período da tarde, o Fórum realizará uma atividade no Centro Administrativo da Bahia para protocolar novos documentos nas instâncias governamentais.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *